segunda-feira, 19 de outubro de 2009

E brilha uma tulipa

Muito triste andou
Tão chorão o menino
Que na beira do rio
Viu sua vida inundar em lágrimas
E desesperanças

Apanhou do destino
Pois um desatino é acreditar no que não é
Ou desacreditar no que está sendo

Contudo, tudo é passageiro
E nesse desespero
Cego ficou
Triste andou
E besta pareceu ser

Mesmo sem cair
Não tinha para onde ir
Por isso, muitas vezes deixou-se cair
Melhor parecia ficar no chão de Maia
E esperar o tempo passar

Mas o tempo demudou
O inverno passou
E o Sol raiou

Trouxe doces nuvens de algodão
Secou as lágrimas do menino
Perfumou-o com alfazema
E, com ternura, entregou-lhe sua tulipa

Menino, não chores
Veja como a vida é boa
Tens tudo o que precisa
Saúde, alegria e amigos
Casa, emprego e um novo amor!

Assim, o menino ajoelhou
Acordou
Acreditou

E orou:
Obrigado Senhor por tantas bençãos!
Perdão pelo desviar no caminho em escuridão ora vencida
Grato sou por me carregar no colo e não me deixar pelo abismo
Ingrato fui de não ter fé em tuas obras
Obrigado Senhor!

E o Senhor respondeu:
Levanta-te e anda
Vá trabalhar.


Homini Pax!

Um comentário:

Laura disse...

Que lindo Thi sejas muito feliz!!