quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Em Busca da Mulher Invisível


Com torpor por sentimentos inexplicavelmente perturbadores, não poderia recorrer à outra forma de socorro a não ser minhas sempre confortantes palavras de desabafo nessas teclas que tanto me entendem. Como entender o emaranhado do bordado divino? Pai socorra-me!

Quanto terei que sofrer para aprender? Não bastam as enfermidades palpáveis? Terei eu que enfrentar mais infernos astrais para aprender a ser obediente? O caminho já foi indicado. Força eu tenho para essa mísera tarefa. Por que não me confortei nas bênçãos divinas? Pai socorra-me!

Devo retornar à busca à mulher invisível. O que me retém? De onde vêm essas dúvidas, se eu tenho as respostas?

Romântico e ferido, o destino já me oferecera o melhor sexo, o corpo mais escultural, a maior entrega, a melhor família, paixões novas, paixões antigas... Basta? Claro que não! Que insistência! Magôo e serei magoado... Esse será o preço a pagar. Para quê? Mula incoerente! Que lombriga é essa que gera essa fome mesmo estufado de comida?

Culpa? Não, meu amor! Não exijo formação em escutatória, pois sou o primeiro a ter reprovado essa disciplina. Medo? Tampouco! A fé me alimenta. Tudo dará certo no seu devido tempo. Maluquice? Talvez... Perdido? Ainda não! Só não sei onde estou...

Choro em teu colo lágrimas de desrespeito. Donde havia de me jorrar felicidade, rego com ingratidão. O perfume de tulipas ainda em minhas mãos. Penso em tua beleza.

A inspiração me escapa, o arrependimento me preenche. Como seria bom ser obediente. Pai, sei que és maravilhoso, que me mostra o caminho e me põe tudo que desejo à disposição. Dai-me seu perdão!

Entendi essa jogada do destino: A cada nova tentativa, mais quero ficar sozinho. Mas há quanto tempo não tenho um bom espelho meu?

Santo Domingo já me auxiliara com a dádiva divina de certo controle interno. Por hábito (acorrentado em um paradigma machista), não me torno casto. Por rebeldia, minto para mim mesmo. “Acorda irmão! Veja por aonde vai! A coisa mais linda é o poder do meu Pai!”.

Lembrar-me-ei: calma e paciência para regar esta flor!

O Ciclo de Saturno ainda vigora. Todo cuidado é pouco. Não atire pérolas aos porcos. Prepare seu terreno, não sabes quando o dono da terra chegará! Eu, tão respeitável e chamado algumas vezes de “excessivamente correto”, o que ando fazendo? Tirei o gesso do braço e ainda sinto seu peso.

Yogananda avisa: aqueles que se casaram, deixaram de se entregar à meditação. São Paulo, o grande apóstolo, alerta: ao homem, é melhor que não se case.

Lágrimas. Secas e silenciosas.

Confortado agora estou; decidido, nem tanto. Assim metade da madrugada chega, com grilos, sapos e possibilidades. Que Morfeu traga bons instrutores.


Homini Pax!

2 comentários:

Ana Cláudia Pupim disse...

as suas palavras me fazem refletir que a beleza em si é triste, como disse o poeta...
Não se torture, pois a verdadeira beleza está no caminho da travessia do arco íris, o pote de ouro é apenas uma recompensa!!
AxÉ
Ana
veja: www.anasalamandra.blogspot.com

Laura disse...

Oi Thi tudo bem? Bom me parece um pouco aflito, mas estou aqui para te lembrar que tenho grande carinho por ti, e quero sempre poder te ajudar, eu imagino o que esteja passando, pois se for o que eu estou pensando, já passei por isso, o que eu digo para vc é calma, seja sempre verdadeiro, com o próximo, se a pessoa estiver disposta, em esperar, para ver se vira um sentimento verdadeiro, viva sem culpa, pois a culpa pode te sufocar, e você sendo honesto não precisa se culpar, peça calma, compreensão, se a pessoa estiver disposta a te dar, não se culpe, mas faça sua parte, em gratidão, reconhecimento! Isso tudo passa com o tempo, é recente, nas primeiras tentativas de um novo relacionamento, é natural que seja conturbado para nós mesmos!
Mas uma coisa eu te digo, quando tem gostar, gosta, simplesmente vai acontecendo, e todas nossas amaras, que no começo, ou nas primeiras tentativas, eram enormes, e nós enchiam, de duvidas, com o tempo vai sumindo!
Confie em Deus tudo vai dar certo, seja apenas honesto! sempre!
Te adoro meu amigo, e serás muito feliz!
Beijos fique com Deus!